sexta-feira, 20 de março de 2009

Dicas para driblar a paixão




Antes de tomar a mesma decisão que eu de driblar a paixão em sua vida, você precisa entender o que ela é:

Do ponto de vista artístico
"... a paixão quer sangue e corações arruinados e é só mágoa por ter sido feito tanto estrago, e esta escravidão esta dor não quero mais, quando acreditei que tudo era um fato consumado, veio a foice e te jogou longe, longe do meu lado. Mas não, não quero estar apaixonado...." Renato Russo

Do ponto de vista gramático
"A palavra paixão originalmente designava o modo como a alma ou a psique é afetada de fora, ou seja, como ela é passiva diante das impressões que recebe. Passivo e paixão vêm do grego Pathos, mesma palavra que de onde se derivaram os verbetes patológico e paciente que nos remetem atualmente a idéia de doença."

Do ponto de vista biológico
Em estudos recentes as concentrações de substâncias que refletem o funcionamento cerebral durante a paixão são alteradas da mesma forma nos amantes e nas pessoas que sofrem de transtornos obsessivos. “Amar como um louco”, portanto, não seria mera figura de linguagem.

Não, eu não sou encalhada, nem passei ou estou passando por uma grande desilusão amorosa. Eu não sou uma tia chata que quer cortar o seu barato. Você pode até dizer que minhas definições são parciais ou não condizem com o que você vive, mas, nesse caso leia meu post sobre pureza emocional =)
A paixão traz sim malefícios; e MUITOS!!! Alguns:
*(As histórias usadas são todas verídicas, mas os nomes verdadeiros foram ocultados para proteção da privacidade dos citados.)

1. Ela tira o foco do que é necessário no momento
Júlia* era uma bela moça. Na flor de seus dezesseis anos, sonhava em estudar arquitetura e sentia um chamado missionário transcultural. Isso até conhecer Rafael*. Ele também era um rapaz belo, usado por Deus e com um forte chamado missionário e forte vocação para a área acadêmica, ainda aos 18 anos. Algo em Júlia o cativou loucamente, e ele decidiu se aproximar dela e conhecê-la melhor. Dando umas investidas lá e outras cá, ele cativou Júlia também. Loucos de paixão, tinham certeza de que foram feitos um para o outro, e começaram a namorar. Oraram e sentiram de namorar estilo corte (sem contato físico), e esperam casar-se em três anos, quando Júlia terá 19 anos e Rafael terá 21. Mas, e a faculdade e o chamado missionário? Terão definitivamente de esperar.
O exemplo de Júlia* e Rafael* é apenas um entre muitos. Às vezes, as partes nem chegam a namorar e o sentimento de paixão não chega a ser recíproco. Mas, ele consome todo seu tempo e sua energia!! Só se quer ver o alvo da paixão, sempre se espera falar com ele, ele é prioridade a todo custo. No caso de Júlia e Rafael, eu pessoalmente acredito que eles realmente podem casar-se. Mas, será que o envolvimento emocional entre eles no presente momento é algo sábio? Será que a paixão não deveria ter sido driblada desde o ínicio e assim o amor não teria despertado antes do tempo?

2-Ela nos faz ser artificiais e tentar impressionar a pessoa que na nossa cabeça é pefeita
Gustavo* era um rapaz apaixonado por Deus e pela sua obra. E também por Samantha*. Ele encontrava com ela constantemente e tudo nela o atraía. Seus cabelos negros, seus olhos vivos, seus lábios rubros, sua personalidade meiga. Mas, ela parecia tão fora de seu alcance!! Ele não se destacava pela sua beleza, tinha uma personalidade forte e não tinha nem de longe a sensibilidade que Samantha admirava. Mas, ele achava que nunca encontraria uma moça tão bela e tão séria quanto ela e só lhe restava uma escolha: despejar sobre ela deliberadamente seus galanteios, arrumar seus cabelos e "fingir ser sensível".

Gustavo* fez uma coisa que eu mesma já fiz várias vezes. Forçar as coisas. Tentar impressionar e conseguir o que quer, a qualquer preço, mesmo que signifique anular sua personalidade. Nem preciso escrever mais pra dizer o quanto isso é negativo.
Outro ponto negativo é a concepção de uma pessoa perfeita. Uma pessoa que conheço dizia que ela soube que o relacionamento dela era pra valer quando ela percebeu a irritante mania de seu marido de roer unhas e escondê-las no sofá. E, apesar de ter de recolher amostras do DNA de seu marido a toda hora, ela o amava. Na paixão, raramente amamos realmente uma pessoa, que tem manias nojentas, por exemplo, e sim um deus grego ou uma dríade das florestas; coisa totalmente fora da realidade.

3- Ela nos faz ciumentos e invejosos
Ruth* era apaixonada por Henrique*. Ele não sabia disso, e ela desconfiava que ele admirava uma moça da igreja, Gabriela*. Ela tinha sempre de segurar seus impulsos para não pular no pescoço de Gabriela ou para não separar os dois enquanto conversavam. Quando Henrique falava com Gabriela, Ruth logo tentava chamar sua atenção e parecer melhor que ela. A gota d'água foi quando Ruth ficou sabendo que Gabriela e Henrique viajariam juntos com uma missão para um congresso. Seriam três dias onde "aquelazinha" poderia jogar seu charme pra cima dele a vontade. Seu rosto cobriu-se de raiva.

**DISPENSA COMENTÁRIOS**

E aí??? Identificou-se com alguma das situações? Com duas? Todas? Viu o tamanho da sua mesquinhez? Eu sei o quanto isso é doloroso. Se você não quer mais passar por isso, BEM VINDO AO CLUBE!! Eu escrevi esses post com dicas que eu mesma tenho testado para driblar esse processo:

a) Corte a atração!
Ajuda ter padrões altos. Mas, quando você sente que viu alguém que corresponda aos seus padrões e a paixão tenta se instalar, ORE PARA DEUS AJUDÁ-LO A VER A DITA PESSOA COMO ELE A VÊ.

b)Envolva seus pais
Se possível, essa é uma das mais importantes. Seus pais tem uma visão incrível do que é ou não realmente bom pra você, por serem os únicos que realmente te conhecem. Pode ser difícil, mas é muito divertido (experiência própria =p)

c) Não paquere!!!
Não criar expectativas românticas nem em si próprio nem na outra pessoa é importante para não enviar mensagens românticas truncadas ou relacionamentos equivocados.

d)Tenha amigos do mesmo nível de maturidade que você
É necessário mentoriamento espiritual (item b). Mas, uma coisa que preenche o vazio e a carência que a falta de um relacionamento amoroso traz é a amizade com pessoas de ambos os sexos (após renunciar a paixão, eu tenho estado cada vez mais amiga de garotos e percebo que é algo natural e enviado por Deus) E DE MESMA MATURIDADE QUE VOCÊ. É divertido e instruidor, e acredito que se "as más companhias corrompem os bons costumes", as boas incentivam-os!!

É isso, pessoal. É essa a minha experiência no combate à paixão. Vale dizer que não sou um querubim santo e puro. Cometo muitos erros. Mas, a decisão pela pureza deve ser tomada diariamente e de forma incondicional; estando nós sempre dispostos a levantar quando caímos...
n'Ele
Doroth

3 comentários:

Anônimo disse...

Costumo dizer que a paixão e desgastante!
D E S G A S T A N T E !! Ela é egoísta, quer atenção otempo inteiro, vivemos somente para isso. Sou muito guiada pelas minhas emoções, isso é péssimo! Se não fosse a graça de Deus não sei o que seria de mim! Ele tem me guardado... Os meus olhos, desejos, sentimentos... Decidi não querer mais esse desgaste! Acho que esse é o desejo dele:Exclusividade! Eis-me aqui, então! Nada me satisfaz mais que ele, ainda que eu não saiba a profundidade disso! E o quão ele me satisfaz de verdade que não me faz querer outra coisa senão o amor verdadeiro!

Adorei suas palavras!
O caminho é esse!! E vejo, claramente, que tem alguém bem especial te conduzindo... Ele!! A paixaão que não nos causa mal!!

L i n d a !!

Fabi- Bahia!!

Anna disse...

Excelente post!!! Ahh Doroth, se eu tivesse tido a maturidade que você tem, na época em que eu tinha meus 14 anos, não teria vivido tantas decepções. Isso que você escreveu aqui é muito sério! Louvo a Deus pela sua vida e desejo imensamente que outras meninas conheçam o seu blog! Seu link já está no nosso site... Que Jesus nos abeçoe!

Hailin Mipor disse...

Hmmm driblar a paixão?
Li o post e achei muito interessante, porque estou passando por uma situação do tipo.
Acho legal comentar sobre isso [eu gosto do assunto e debateria por horas se pudesse, haha]... Pode ser esclarecedor para algumas pessoas ^^
Porém, tem uma coisa... Entendo que os nossos padrões em relação ao amor devem ser os mais altos o possível, tipo o de I Corintios 13, mas amar alguém e ter planos para com essa pessoa SEM SER ESSE SEU FOCO MAIOR/PRIORIDADE seria errado também?
gostaria de saber sua opinião, porque as palavras que vc escreveu parecem ter sido inspiradas por Deus (assim como eu tbm tenho a impressão de que vc leu aquele livro "eu disse adeus ao namoro")

beijinhos!