terça-feira, 30 de junho de 2009

e pra onde você vira...


Oi gente!
Acabei de voltar do Juventude em Comunhão, JUCOM, em Carapicuíba, cidade, na região metropolitana de sampa..
Foi tudo muito legal, tive o prazer de conversar de novo com a Karine, e com muitos mais amigos muitíssimos queridos, apreciar o talento que Deus deu a eles em maravilhosas peças de teatro e danças e ouvir muito sobre como devemos ver Deus no outro. Foto: eu e ká!
Só, que, sinto informar, o ápice da ação de Deus nessa viagem aconteceu na já familiar estação do metrô Tietê, onde fica localizada a maior rodoviária da américa latina.. Em dúvida sobre se devia voltar pra Jundiaí de trem (opção mais barata, porém, levaria um tempinho a mais) ou de ônibus (mais caro, mais confortável e mais rápido) decidi pagar dez reais a mais pelo ônibus, já que carregava bolsas pesadas (literalmente e nos olhos também, já que não dormi em duas noites =D).
Sempre admiradora e contemplativa, comprei uma passagem pra Jundiaí saindo de Sampa as 15:40, com chegada prevista às 16:30. De rabo de cavalo, tênis, mochila nas costas e a cruz de strass que todos vocês já conhecem no pescoço, um copo de milk shake na mão, dirigi-me até a plataforma 11 da Cometa, destino a Jundi City..
Mas, eu não contava com o fato de a Marginal Tietê, geralmente livre nesse horário, estar absolutamente congestionada, e meu mp3 quebrar assim que eu sentei no ônibus. Vi-me, então, fadada a uma viagem LONGA E INFERNAL...
Quem me conhece sabe que eu certamente fiquei fula da vida e quase quebrei todas as janelas do ônibus querendo o meu dinheirinho suado de baby sitter de volta para que eu pudesse voltar de trem. Mal-humorada e frustrada, sinto uma mão no meu ombro: um velhinho me pedindo pra ajudá-lo a atender o celular. Ajudei-o, e, ainda mal humorada, comecei a ouvir a conversa dele com uma moça e um rapaz próximos.
Ele tinha perdido a esposa a pouco tempo, e viveu a maior parte da juventude nas ruas. Ao ouvi-lo falar isso, assustada, olhei pro lado. Era uma oportunidade de exercitar a palavra do JUCOM!
Ele era cristão, e contando de suas vitórias em Deus e do agir dEle em sua vida ao jovem casal, ele derrubava lágrimas e se emocionava frequentemente. Minha primeira reação foi lamentar a falta do meu mp3 e criticar algumas das palavras pentecostais do velho homem. Mas, enquanto fui ouvindo, a palavra dele se unia a palavra do JUCOM e amolecia meu coração até que eu me juntei às lágrimas do casal e consegui apreciar a Ele no homem... Cheguei em Jundiaí às 18h30, com duas horas de atraso, mas certa de que valera a pena pagar a mais pelo ônibus...
Essa experiência lembra-nos de como estamos certos de nós mesmos e cheios de razão a tal ponto que ignoramos o outro e achamos que apenas a gente mesmo pode refletir Sua glória.

"Amar alguém significa ver essa pessoa como a Deus a concebeu."
(Dostoievsky)

Eu quero aprender na prática desse amor! Quero crer que o Senhor está nas pequenas coisas!
Descubramos isso juntos!!!

Hugs 'n kisses!

Um comentário:

kporto disse...

EUREKA DOTH!
é isso mesmo! quero encontrar Deus em todas as situações!
é engraçado pois as vezes estamos distraídos, afim de ficar em nosso mundinho. Daí COISAS SOBRENATURAIS acontecem para que possamos encontrá-lo!!!
Temos q ter cuidado tbm para não deixar o momento passar, por isso estejamos atentas, vigilantes, SENSIVELLL, a todas as ações do cotidiano.

Deus, livra-nos da alienação mundana! livra-nos do descaso humano! livra-nos da mornidão!
queremos te ver!!
obrigada pela experiência da DOth!
amém!

amo-te em Cristo!

BEIJOO