sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Receita para não engordar sem necessidade de ingerir arroz integral e chá de Jasmim

Pratique o amor integral
uma vez por dia
desde a aurora matinal
até a hora em que o mocho espia.
.
Não perca um minuto só
neste regime sensacional.
Pois a vida é um sonho e, se tudo é pó,
que seja pó de amor integral.
(Carlos Drummond de Andrade)


Ela estava só, embora rodeada de gente. Seus cabelos longos caíam sobre seus ombros como uma cascata negra e selvagem. Seus olhos castanhos, no mo mento marejados de lágrimas, fixavam-se no vazio como que procurando por algo que não se podia ver. Caminhou pelas ruas fétidas da cidade grande com a leveza d euma sílfide e a convicção de um combatente. Era dolorosa, aquela situação. O amor é paciente. Floresce tal qual lírio. Lírio. Era assim que ele a chamava em suas conversas apaixonadas. Era essa a flor que lhe enviava, só porque estava a pensar nela. Só porque queria ter o prazer de vê-la sorrir. Lírios abertos são mais belos. Nunca colha flores fechadas. Espere-as amadurecer. Elas ficarão belas por mais tempo. Agora, ela via a hora de tirar esses conselhos das revistas de jardinagem. Esperar.
Em sua peleja diária, ao contemplar os casais de amantes
, romances ambulantes de "quens", "comos" e "porquês" ela se lembrava dele. E lembrava-se também que ele também lembrava dela. Chorava com ela, pensava nela, sonhava com ela, esperava por ela, com ela. Ele também se mantinha paciente enquanto mãos divinas faziam florescer o lírio de seu amor.
Mal sabem os jovens que, por trás dessas mãos, há Alguém a sorrir. Ah, o que esse Alguém não daria pra mostrar aos jovens essa cena que por enquanto só Ele pode contemplar! A moça de olhos antes chorosos, a exibir um sorriso cuja cintilância só pode ser obtida através de submissão e renúncia, em um lindo vestido ranco rendado, a caminhar não por ruas infectas, mas por um corredor florido, onde ele a esperava. Pela última vez. Nas mãos da moça? Um buquê de lírios.


Conto de Doroth Nogueira




Ahh. Faço minhas as palavras de Gonzaguinha... Quando desandar a escrever, caro leitor,por favor entenda que palavra por palavra eis aqui uma pessoa se entregando!Coração na boca, peito aberto, vou sangrando... São as lutas dessa nossa vida que eu estou contando! Quando eu desandar a escrever, por favor, entenda! É apenas o meu jeito de viver o que é amar!


Parafraseando o grande Caetano, tudo o que eu quero é um acorde perfeito maior, com todo o mundo podendo brilhar no cântico...Escrevo somente o que não pode mais se calar! Noutras palavras sou muito romântica! E acho que preciso de um pôr do sol...

5 comentários:

Gi Bardi disse...

depois desse post eu quero um buquê de lírios! *-* hauahua
blog liindo, realmente iluminado, parabéns! ^^

;*

kporto disse...

nosssaa q lindo Doth!!
romanticaa!!!
to precisando de um belo pro do Sol tbm!

ahh e Parabéns por usar gonzaguinhaa.. puxaaa ate me inspirou agora! rss

forte abraço

gabs . disse...

lindo Dooth, muito lindo mesmo!
um orgulho conhecer alguém como você (:

Parabéns♥

Adoradora de Cristo disse...

tambem querooo tambem queroo um por do sol e um buque de lirios :D

Gosto muito do teu blog!!

Beijinhos queridaaa irmã em Cristo!

gabs . disse...

"Passa uma borboleta por diante de mim
E pela primeira vez no Universo eu reparo
Que as borboletas não têm perfume nem cor.
A cor é que tem cor nas asas da borboleta,
No movimento da borboleta o moviemento é que se move,
O perfume é que tem perfume no perfume da flor.
A Borboleta é apenas borboleta
E a flor é apenas flor."
Fernando Pessoa

Na hora lembrei de você (: