quinta-feira, 5 de novembro de 2009

a mulher y



 Todos dizem que ela ganhou muito. Ela é filha daquelas que loucas por liberdade do chamado "mundo machista" queimavam suas roupas íntimas em praças públicas, deitavam em linhas de trem e faziam manifestações em grandes avenidas. É, ela realmente ganhou muito.
Hoje, ela não é mais escrava do mundo machista. Ela é empresária, é doutora, é juíza. Não se preocupa mais com roupas a lavar, almoço no fogão ou crianças pelo corredor.
Não se queixa mais de peitos caídos; afinal, nunca acalentou uma criança entre eles. Se diverte com todas as opções possíveis, porque nunca andou de branco por um corredor, nunca teve um anel dourado na mão esquerda.
É, ela está vivendo o que suas mães tanto sonharam. Elas estariam orgulhosas dela. Mas, ela chora. Nunca teve uma criança em seus seios. Nunca sentiu um bebê chutar sua barriga. Nunca se deu a oportunidade de ter um amor "até que a morte os separe." Nunca correu pelas ruas da cidade com sua mãe, atrás de um vestido de noiva. Nunca se permitiu admirar um buquê de rosas. Nunca morreu de amor. Nunca ensinou um bebê a andar. Nunca levou a família a praia.
Se entrega a muitos, não pertence a ninguém. E vive um dilema, perguntando-se que liberdade é essa que a liberou da servidão machista mas a tornou escrava de si mesma.

8 comentários:

Victor Porto! disse...

bom, o que é liberdade, afinal?!


___________________________________



' adorei o novo visual do blog!
*--*




(:

gabs . disse...

e o conceito de liberdade continua tão mutável quanto o ser humano!

sempre brilhante nos temas em que aborda♥

isis umbelino disse...

Podemos concluir então, que hoje em dia somos oprimidos por aquilo que conhecemos como liberdade. Paradoxal não é?! Bom, o que sei, é que quero estar bemm longe desse tal de paradoxo...

sempre brilhante nos temas em que aborda [2]

E Gabs, "e o conceito de liberdade continua tão mutável quanto o ser humano!" - concordo PLENAMENTE!!!

O que nos resta, ter esperança de que um dia teremos a liberdade, a genuína!

Ai me empolguei, rs.

Beijos Doroth e congrats, lindo e inspirador blog!

gii bardi disse...

é lindo como seus textos defendem os valores *-*
fico cada vez mais apaixonada pelo seu blog ♥

Leandro disse...

muito legal esse post, Doth! Retrata bem o que o feminismo distorce na identidade das mulheres.

Bênçãos!

Leandro disse...

A propósito, também gostei do novo design do blog.

:)

Moni disse...

Infelizmente isso é verdade..
Que triste mundo estamos fazendo né?

Muito bom o texto!
Você é excelente em tudo Doth,
pena que só nos comecemos no final do ano!

Beijoss

Adoradora de Cristo disse...

A verdadeira liberdade encontra-se quando entregamos toda a nossa vida para que os propósitos de Deus em nós se cumpram.

Realmente o texto está fantástico!!

Beijinhos ;)