sábado, 3 de abril de 2010

cedendo aos clichês


Está vivendo com a constante sensação de que está sendo forçado a virar garganta abaixo um grosso caldo de medo, decepção, revolta e melancolia? Não é o único, meu amigo. Tomo esse cálice amargo quase todos os dias. Mas, permite-me dar-lhe uma sugestão que comigo tem dado certo? Não resista aos clichês. Se eles não fossem verdadeiros e eficazes, não se tornariam clichês, concorda? Viva seus momentos de fossa com toda a força e intensidade que julga que eles merecem. Permita-se 12 horas de pensamentos piegas, atitudes irracionais e decisões insensatas.
Vista a camisola mais cafona que encontrar. Coma chocolate. Leia "Os sofrimentos do jovem Werther" ao som de músicas deprimentes. Olhe-se no espelho, e veja como você está gorda, e como seus cabelos ensebados caem lambidos sobre a sua testa quadrada. Ouça mais músicas deprimentes. Olhe para suas mãos sem aliança e perceba o quanto tem azar no amor. Considere por um momento a possibilidade de jogar na loteria (azar no amor, sorte no jogo), mas desconsidere-a logo em seguida. Tudo o que você faz dá errado, lembra?
Olhe para sua caixa de emails vazia e perceba que ninguém nunca se lembra de você. Veja o perfil daquele carinha, que no seu computador é mais acessado que o próprio Google, e veja o quanto você é ridícula. Não percebe que ele é muita areia pro seu caminhãozinho? Como ousa sonhar com isso? É imatura, isso sim! 
Aí, vem a melhor parte: chore. Chore copiosamente, ruidosamente, desavergonhadamente. Se você já chorou por algum motivo (e acredito que já tenha, ou então é dono de uma sorte imensurável), sabe o quanto chorar é terapêutico, mesmo que as circunstâncias continuem as mesmas. Então, não se reprima, mesmo! Chore como um bebê, até dormir. Mas, caro leitor, ao final da décima segunda hora, desperte. Engula todo o choro.
Erga a cabeça, e vá tomar um banho. Se sentirá um bocado mais leve. Massageie suas curvas com um hidratante refrescante (não está tão gorda assim, certo?). Passe as mãos por seus cabelos úmidos e deixe-os caídos sobre os ombros (vê como eles emolduram perfeitamente seu rosto?). Pinte os lábios e as unhas de vermelho. Vista um vestidinho que valorize suas estonteantes curvas e calce um sapato alto que deixe seu bumbum empinadinho (UAU, QUE GATA!). Vá ler um bom livro. Quem lê se torna mais interessante, engraçado e perspicaz. Não que você precise aprimorar essas suas qualidades, é claro. Estou certa de que é uma garota incrível! E acredite, amiga, se aquele-cujo-perfil-é-mais-acessado-que-o-Google não perceber isso, ele é um idiota!
Ligue para sua melhor amiga (todo mundo tem uma, não?), e perceba o quanto ela ama você. Tente lembrar de si mesma há um ano atrás, e perceba que você não é imatura. Está em constante aprendizado, isso sim. E por essas e outras, convença-se de uma vez por todas que é sim digna de sonhar com o que quiser. Para quem vive a sonhar, fica mais fácil viver, não é mesmo? E acredite em mim, já passou da hora das coisas ficarem mais fáceis pra todas nós.

6 comentários:

Gabriela Iamara disse...

melhor que ler seus textos no blog, é lê-los em primeira mão, manuscritos e rabiscados em seu caderninho!

não vejo a hora de ter o meu dia, aquele em que poderei me dar o luxo e o prazer de ceder aos clichês..
por enquanto só nos devaneios em meio às tardes de correria e estudos!

você me surpreende amiga!
e eu adoro surpresas :D
♥tãão especial..

Day disse...

Danadinha!! amei o post, você é o máximo. Tenho tentado deixar os clichês de lado. Quero uma vida piegas também. *-* Um super beijo lindona!!!

Linn Anastassakis... disse...

Quem é vivo sempre aparece...e eu apareci...rsss! lembra do "vislumbes"?..então flor, voltei com outro blog...estive ocupada demais com a faculdade, tive que resolver alguns probleminhas, mas ja estou de volta! rsss
passa lá...!

fico feliz em estar de volta...
o seu blog continua lindo como sempre....

beijinhos!

Paulo Tamburro disse...

SINGELA AMIGA VIRTUAL,

quando resolví que só escreveria textos de humor no meus blogs, foi exatamente, por saber que em outros existiriam pessoas absolutamente, muito mais competentes do eu que escreveriam sobre coisas muito mais sérias.

E então, já que você não os usou gostaria de abusar de alguns clichês, hoje tão em moda:Um deles por exemplo é que mulher não deve ter nome de frutas.

Não entendo a razão, pois melancia, melão, moranguinho são tão gostosos. Por que ,não?

Outro clichê muito em uso é que nós homens devemos ter barriga tanquinho e sermos sarados?

Ora, desprezar esta evidência?

È bem verdade que, a torneirinha destes tanquinhos devem sempre funcionar direitinho.


Outro, é que as mulheres, são e conquistaram com muita luta sua independência, financeira.

Isto fêz com que muitos homens , nunca mais colocassem a mão no bolso para pagar nenhuma despesa.

Enfim, espero que você - usando mais um clicê indesejável - me dê a honra de visitar meus três blogs que no total, contam com a amizade a generosidade e o apoio de mais de oitocentos seguidores.

Um abração carioca

sophiii disse...

Oi, só passando para parabenizá-la por seus textos, e por tudo que você já fez por mim em todos esses anos que nos conhecemos. Minha amiga, obrigada por tudo, e também por me ajudar a fazer meu próprio blog (:

Jaíce Cristina disse...

Ai que maassa. Ameii. E sabe... isso é realmente terapêutico. Não que eu tenha feito, nãããoo, imagina. rsrs.

Beeeijo.