terça-feira, 4 de maio de 2010

Ela procura. Até chegou a encontrar, algumas vezes. Mas, nunca foi procurada.
Ela sente falta. Sente muita, muita falta. Para ela, a palavra saudade, de tão freqüente, dispensa ser pronunciada. Mas, ninguém sente sua falta. Nunca.
Aprecia a companhia de muitas pessoas. Mas, a sua própria companhia parece ser dispensável a todos.
Olha para o espelho, e nunca gosta do que vê. Magoa a quem ama, sempre. Não gosta do som de sua voz, nem do toque grosseiro de suas mãos.
Chegou quase a encontrar o verdadeiro amor, uma ou duas vezes. Mas, em pouco tempo se via tentando espremer significado de ações vazias. Chegou a encontrar amigos, algumas vezes. Mas costuma estragar tudo. Tem medo de se envolver, e de perder depois.
Ela está cansada de fingir, entendem? Está cansada de ver o que não é. Está cansada disso tudo. Está cansada de ficar ligando pra própria secretária eletrônica, dando F5 na caixa de emails, sem encontrar nada. Ela quer, mas quer ser querida. Ela já encontrou, mas quer ser procurada. Ela sonha, mas não sabe se pode. Como ajudar-me ajudá-la, queridos amigos?

4 comentários:

gii bardi disse...

Perfeito, perfeito, Doth!
Acho que todo mundo passa por umas épocas dessas, não?
Poderia ser meu perfil fácil fácil! hahaha
Incrivel como voce sempre consegue colocar os sentimentos em palavras *-*


beijãão, Doth!

ps: eu sinto sua falta quando voce nao sobe pra conversar :X

Matheus disse...

oi doth, tudo bem? matheus aqi.
continue escrevendo assim, voce trabalha muito bem com as palavras, sabe tocar no coração das pessoas. nao eh atoa que gosta de portugues rs.



BEIJÃO, continue assim.

Day disse...

Acho incrível como seus posts se parecem comigo.
Também estou cansada ditto tudo. Revoltadíssima. Essas vozes em nossas cabeças não vão mais nos deixar em paz? Acho que não. Mas confesso que já me acostumei com elas.
beijo grande fofa.

Pensamentos em fragmentos disse...

Oi,
Meu primeiro comentário aqui,
Leio todos os teus textos e os curto muito,
Você é muito boa com as palavras,
E me identifico com a maioria dos teus escritos.
Parabéns!