quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Balanço de 2010

Olá, blogosfera!


Há um tempo eu tenho pensado o que fazer com esse blog. Todos vocês já sabem que escrever pra mim é tão imperativo quanto respirar, mas nos últimos tempos eu não tenho tido mais a disposição de antes. Continuo escrevendo muito, mas não nada que deva ser publicado e lido por muitas pessoas. Sei lá, me sinto meio como  que se publicando um texto eu emprestasse a minha dor e meus sentimentos a quem o lê, e no momento, estou preferindo guardá-los só pra mim. Uma vez falei pra uma amiga que me cobrava textos novos que eu tinha deixado a poesia dentro de mim morrer, mas me arrependi logo em seguida. A minha poesia continua cantando alta e forte (mais que nunca!), mas para pessoas e causas específicas. Dedicarei-a a essa causa quando achar pertinente :) Enfim, não vou abandonar o blog. 
Então, chegando ao tema central do post, um balanço do ano de 2010. Eu acho que todo mundo que me conhece sabe que eu sou uma louca pilhada que não conhece o que há entre o 8 e o 80 e só sobrevive à base de umas boas miligramas diárias de Valium. Surpresos? Sim, é tudo verdade, menos a parte do Valium (por enquanto). A verdade é que eu sou muito intensa  e auto-crítica, o que faz com que eu quebre a cara muitas vezes. Esses últimos dias do ano são aqueles em que eu concentro toda a loucura e auto-crítica que eu reprimi a duras penas durante o ano inteiro em, adivinhe? Mim mesma, exato. Acontece que a nostalgia e a melancolia de fim de ano não me ajuda a ser muito justa comigo mesma, na maior parte das vezes. Mas, de qualquer forma, final de ano é a época em que eu mais reflito sobre o que fiz ou não fiz e sobre o que devo repetir ou não. Por mais louca e desequilibrada que eu pareça, essas reflexões me fazem muito, muito bem. Trazem boas lições, novas idéias e porque não, muitas risadas, afinal, levar-se a sério demais é coisa pra gente chata. 
Então, meus queridos amigos-leitores que em uma tarde de férias tediosa pra caramba resolveram apelar, perder a própria dignidade e ler as bobagens de uma pilhada que precisa de Valium, aí vão as coisas que eu aprendi no ano de 2010:


1- Tudo, tudo passa. Até uva passa.
2010 foi um ano de profundas decepções, em várias áreas. Admirei, des-admirei, admirei de novo e voltei a des-admirar algumas dezenas de vezes, várias pessoas e coisas diferentes. Fiquei muito chateada e melancólica, achando que ninguém nunca ia gostar de mim, e que eu ia morrer sozinha, mas feliz, porque nesse mundo cruel e decadente não valia a pena ter relacionamentos de qualquer natureza, que ia fazer voto de pobreza-castidade, pra no caso de eu ficar encalhada e pobre eu fingir que foi por opção, e coisas do tipo (bocejo). O que  eu aprendi nesse ano foi que decepções acontecem. E que elas só acontecem porque nossas expectativas são grandes demais. Se elas (nossas expectativas) estiverem centradas no ponto correto (fica pra outro tópico, haha), não nos decepcionaremos mais, porque estaremos dando a devida importância a coisas/pessoas. E que essa sensação de melancolia/cólera/tristeza/indefinição PASSA. É clichê, né? Mas, é a melhor forma de definir isso tudo. Tá doendo? Calma, porque TUDO, TUDO, TUDO PASSA.


2- "Burro, eu te perdoo. Sei que você faz parte do grupo de pessoas que não conseguem evitar serem chatas." Palavras sábias de Shrek no Especial de Natal.
Essa sábia e verdadeira frase vem do Especial de Natal do Shrek, programação da minha família no Natal 2009, em um apartamento quente e cheio de pernilongos na Praia Grande, onde havia uma televisão de gabinete de madeira 19 polegadas, cuja antena só pegava a Rede Globo (don't ask). Triste, né? Nem tanto, porque aí aprendi a lição que ia levar pro ano inteiro. Tal pessoa é chata? Perdoe-a, porque ela não consegue evitar. Ser chato não é legal, acredite. Se ela pudesse escolher entre ser chata e ser legal, ela preferiria a segunda, com certeza. Por isso, saiba que pessoas chatas merecem sua compaixão. Só o 'ser chato' já é castigo suficiente pra elas próprias. 


3- Felicidade independe de circunstâncias externas.
Entenda que rir é bom, mas que rir de tudo é desespero, já dizia Frejat. Sinceramente, poucas vezes já ouvi algo tão verdadeiro.Cheguei a conclusão que felicidade, não é uma vida perfeita, porque no fundo, todos nós somos um pouco idiotas. A verdadeira fórmula da felicidade, pra mim, é paz de espírito: valorizar mais as pequenas coisas. Sem dúvidas, felicidade é coisa que só Deus consegue me proporcionar.  Não existe felicidade longe dEle, e digo isso verdadeiramente! Buscar a felicidade fora de Deus nada mais é que uma busca louca e desenfreada por prazer: perecível e vazia. Na paz de espírito que é estar com Deus, percebe-se o que dá título ao tópico: felicidade independe de circunstâncias externas. Conheci nesse ano uma querida amiga. Sim, só nesse ano, mas parece que nos conhecemos desde sempre. Bonita e desenvolta, 18 anos recém-completos, ela se preparava para viver no Egito em missões. Moraria numa casa simples, vivendo apenas com o absolutamente indispensável, correndo risco de vida em um país que rejeita o cristianismo. Ela não teria namorado, roupas caras, carro, faculdade. Contudo, posso dizer com segurança que nunca vi ninguém tão feliz quanto ela.  Concluo dizendo que felicidade é mesmo quando estiver bem cansado, ter 'amor pra recomeçar", novamente convergindo ao mesmo ponto: felicidade, só com Deus.


4- "Eu não sou órfã mais, não. Tudo o que eu sinto esbarra em Deus." Adélia Prado - ETA DEUS GRANDE, SÔ!
Essa é a mais importante de todas. Eu tive esse sentimento de uns tempos pra cá, e Adélia conseguiu defini-lo perfeitamente. TUDO, TUDO O QUE EU SINTO ESBARRA EM DEUS. Não tenho disposição, nem tempo, nem vontade de sentir nada que não leve a Deus. Todos meus anseios tem a Sua cor, ressoam com a batida do Seu coração, têm Sua cadência, tem Sua paixão. É uma coisa inexplicável, mas deliciosa. Tudo dentro de mim leva a Deus. Recomendo que ouçam Turn, de Brooke Fraser (clique aqui) para entender um pouco mais pelo que meu coração tem ansiado. A cada dia que passo longe de onde fui criada para estar, aumenta a sensação de que eu não pertenço a esse mundo, como dizia CS Lewis. Já apalpei o fundo do guarda roupa, já andei mil vezes de trem, já olhei pro quadrinho que mostra o mar, todas as vezes sem sucesso. Acho que vou ter que esperar Aslan vir me buscar...






And that's all, folks! Fica meu abraço e meu desejo de que essas lições de ano novo tenham pelo menos feito vocês rirem da minha cara. De coração, desejo que 2011 seja ainda mais lindo e instruidor que 2010. Parafraseando Drummond,  para se ganhar um ano-novo que mereça o nome, não precisa fazer lista de boas intenções para arquivá-las na gaveta, nem precisa chorar arrependido pelas besteiras consumidas. Para ganhar um Ano Novo você tem de merecê-lo. Tem de fazê-lo novo. Eu sei que não é fácil, mas tente, experimente, consciente. Viva fora da caixa. Ouse. Resultados diferentes não vêm por vias comuns. 

6 comentários:

L.L disse...

Amei,
No fim, o balanço geral reflete todos os sentimentos[se isso é possível], tudo aquilo que sentimos durante o sobe e desce dos dias e acontecimentos.
Não abandone o blog! Amo a forma como você expressa sentimentos tão em comum com os meus, você transforma dor, alegria, amor, caos, Soberania de Deus...etc...em sentimentos portáteis, que carrego sempre comigo, adoro ler você
[risos]
Super beijo!

bru disse...

Doooth querida *-*
vc escreeeveu!
auahuahauhauahuahua
Como disse na formatura, adooro ler
o q vc escreve,e é mto bom saber
q vc vai voltar a escreveer aqui!


gosto mto de vc,
um grande beijo.
Bru
;)

Day disse...

Fofa, amei isso aqui viu?! Só espero que em 2o11 você continue escrevendo tão bem quanto ontem e hoje. Feliz ano novo a todos nós! beijão

pedroporto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
pedroporto disse...

oi Doroth !
tudo bem ?
talvez nao se lembre, mas sou o Pedro de Goiânia, amigo da Déborah!
parabéns,seus textos são belos!
abraço!

Gi Bardi disse...

Fiquei encantada pelo seu balanço de 2010! E embora o Valium muitas vezes se mostrasse uma boa opção (haha) acho que ele teria tirado boa parte dos '80' tão bons, não?
Foi ótimo ter dividido um pouco desse ano interminável ctg (:

Já é 2011 e eu te espero, proto ♥